Vitórias reais!

campea2

Em 1988, nas olimpíadas de Seul, o canadense Ben Johnson impressionou o mundo, realizando os 100 m rasos abaixo da marca de 9s80.  O presidente do seu País deu nota de honra pelo seu desempenho,  o mundo dos esportes o reverenciava… Contudo, menos de 48h depois, sua vitória torna-se falsa…  Reprovado no exame antidoping,  perdeu o título,  ficou suspenso por dois anos e proibido de representar o Canadá em qualquer competição.

O apóstolo Paulo,  escrevendo à Timóteo afirma: ” …nenhum atleta é coroado como vencedor,  se não competir de acordo com o regulamento” ( 2 Tm 2.5). Ele tem em mente um atleta grego,  cuja participação exigia do mesmo, árduo treinamento e obediência às regras.

Todos almejamos vencer, em tudo o que realizamos;  os obstáculos em meio ao alvo, o cansaço crescente, as limitações,  enfim, um conjunto de “oposições” para a tão sonhada conquista. Todavia, esse conjunto torna-se menos diante das regras previamente estabelecidas. Se a “vitória” não atenta para as regras impostas, ela é falsa, não real…

Devemos primar em sermos vitoriosos de fato, atentando para as regras estabelecidas,  àquilo que está inserido de forma inseparável do alvo; quer seja na esfera individual ou interelacional, quando as conquistas representam aprimoramento,  equilíbrio,  bem estar.

Que não sejamos reprovados, mas que nossas vitórias sejam reais, verdadeiras, gerando em nós uma celebração digna e motivação para outros.

Que assim se cumpra,

Lídia Lopes é pastora, bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, com convalidação na Escola Superior de Teologia (RS). Professora de Hermenêutica e Visão Panorâmica do AT e NT no Seminário Teológico do Oeste e Palestrante.

Deixe seu comentário