Virgindade não é opção, é bênção! (Parte 2)

O próximo passo desta reflexão evangélica para jovens é ressaltar a aliança matrimonial. Quando um casal decide manter-se virgem até o casamento, estão assumindo um pacto de obediência a Deus. Mais do que um pacto entre si, é uma aliança diante do Eterno que estão assumindo.

Por isso, a decisão de casar-se virgem é um compromisso direto com Deus; e isso, claro, vai perturbar muita gente. Muitas pessoas não querem zombar de você apenas por ser virgem, mas usam isso como gancho para ridicularizarem sua fé.

Se você deseja levar esta reflexão evangélica para jovens cristãos, recomendamos que você separe os trechos bíblicos de Gálatas 5:13 a 25 e 1 Coríntios 6:12 a 20.

Por toda a Bíblia, lemos que a idolatria era vista como uma forma de prostituição, um adultério que o povo cometia contra seu Criador. Assim como Cristo deseja sua esposa (a igreja) pura e única, o marido deve unir-se com sua esposa também pura, estando ele igualmente puro.

A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa, não com a paixão de desejo desenfreado, como os pagãos que desconhecem a Deus (1 Tessalonicenses 4:3-5)

Quando temos um relacionamento direto e constante com o Pai, o fato de dizer sou virgem não é visto por nós como questão de vergonha, mas de ânimo e orgulho. É uma declaração que demonstra bem nossa fé, e que somos realmente praticantes da Palavra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *