Virgindade não é opção, é bênção! (1ª parte)

casaldenamorados

A sociedade coloca uma marca, um estigma, na pessoa que afirma – sou virgem!

E para os jovens que fazem parte desse grupo, fica muito mais difícil, suportar nesse momento, as zoeiras, o bullyng.

Isso impõe um peso emocional que muitos não sabem lidar.

Para um jovem cristão, essa é uma batalha que precisa ser enfrentada com força, fé e muita sabedoria. E o jovem precisa assumir essa condição até o casamento.

Sendo cristão ou não, a partir da adolescência, todos passam a lidar com a sexualidade de uma forma mais intensa. A produção de hormônios chega ao auge e apenas dizer o que pode ou não pode não é o suficiente para manter os jovens convictos de sua castidade. Aos 15 ou 16 anos, em média, alguns adolescentes já têm sua primeira relação, e para quem não teve, parece que fica cada vez mais difícil dizer: sou virgem.

O jovem cristão precisa compreender que a castidade é mais que uma opção “religiosa”, é uma atitude que nos leva a compreender o real objetivo das famílias e dos casais.

A decisão de casar-se virgem nos faz combater uma série de adversidades que a vida nos impõe. Uma delas, muito importante para o cristão, é o autocontrole, o domínio próprio, um dos frutos do espírito.

Repare que, independente de ser cristão ou não, aqueles que decidem pelo sexo antes do casamento enfrentam uma série de problemas no relacionamento porque não conseguem dominar sua natureza.

Outra coisa que precisa ser dita ao jovem que sente vergonha de dizer aos amigos que é virgem, é que embora seus colegas zombem dele, essas pessoas passam a enxergar alguém que realmente é confiável e verdadeiro.

Talvez você jovem, tenha amigos que gostam de se gabar de seus feitos sexuais, mas o que eles não relatam são suas decepções em outras áreas de sua vida.

Muitas meninas cedem ao sexo porque não querem perder o namorado, ou ficam com medo de passar uma imagem de careta para o seu companheiro; e depois do ato sexual se sentem culpadas e arrependidas.

As emoções são mascaradas e ocultadas pela vergonha de assumir e defender sua castidade.

Quando pratica-se o sexo antes do casamento, abre-se uma brecha para muitos outros problemas.

Portanto, o jovem (adolescente) precisa saber que se quer exercer sua fé por completo em todas as áreas, precisa também controlar seu ímpeto carnal. “Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria”. (Colossenses 3.5)

Carmen Oliveira é psicóloga, psicopedagoga, consultora em Gestão de Pessoas e membro da Primeira Igreja Batista de Campo Grande (RJ).

Deixe seu comentário