Telma Bueno: “O conhecimento da Palavra gera vida e vida saudável”.

Telma Bueno é bacharel em Teologia, jornalista e pedagoga. Trabalha como editora da Revista Lições Bíblicas no Setor de Educação Cristã da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). É também conferencista e professora do Curso de Aperfeiçoamento para Professores de Escola Dominical (Caped). Escritora, com títulos publicados pela CPAD, Telma lançou recentemente o livro Igreja Saudável – Educando para uma vida plena.

Nesta entrevista exclusiva concedida à jornalista Sandra Freitas, editora do Espaço da Mulher Cristã, ela fala das experiências que vivenciou em suas andanças pelo Brasil, ao longo de mais de 30 anos de ministério, e da necessidade urgente de buscarmos uma igreja saudável em todos os aspectos. Confira!

Como e quando você percebeu a necessidade de escrever um livro que fala sobre a saúde da igreja?

A percepção da necessidade de escrever uma obra com essa temática é resultado das minhas experiências com Deus ao longo da minha caminhada com Jesus. São mais de três décadas dedicadas a servir a Igreja do Senhor, ensinando e cuidando de pessoas. Também é fruto das muitas conversas como professora e editora das Lições Bíblicas da CPAD. Meu trabalho, graças a Deus, me permite fazer muitas interações, observações e estudos, contribuindo para o meu crescimento, e creio que também do meu próximo.

Logo na introdução, você diz que o livro não é um manual para resolver as questões existentes na igreja. Qual é o objetivo do livro?

O objetivo é levar as pessoas a refletirem a respeito da temática central proposta na obra; é dialogar a respeito do tema.

O livro é dividido em duas partes. Quais são os temas abordados nos dois tópicos?

Sim, a obra tem duas divisões centrais. Na primeira parte, o objetivo é mostrar alguns “sintomas” de que algo não vai bem.  A palavra-chave para a primeira parte é conscientização. Na segunda parte, o objetivo é mostrar o caminho para a cura; a palavra-chave é restauração. O propósito é mostrar que temos um Deus que nos ama e deseja restaurar nossa saúde e a maneira como vemos e vivemos nesse mundo tenebroso, onde as pessoas estão, a cada dia, mais distantes de uma vida equilibrada, saudável e feliz.

Você aborda a questão da saúde dos líderes da igreja. Existe alguma resistência dos líderes para buscar ajuda?

Em geral sim. Pois muitas pessoas ainda veem seus líderes como uma espécie de “super-herói”; um ser desprovido de sentimentos, dores, emoções, problemas, etc e que jamais adoece.  Somos pessoas, temos virtudes e defeitos, enfrentamos situações adversas, nos afadigamos, adoecemos. Durante muitos anos, as pessoas viram as doenças como um sinal de fraqueza e até de pecado. Por isso, a necessidade de mostrar, o tempo todo, que estamos bem, fortes e saudáveis.

Quem cuida de pessoas, também precisa de cuidados. Na Palavra de Deus, encontramos o apóstolo Paulo sempre preocupado com a saúde de seus amigos, Timóteo é um exemplo disso.

Você trata ainda sobre ansiedade, consumismo e imediatismo que têm atingido milhares de pessoas. Podemos dizer que as doenças da alma são hoje o grande problema da igreja?

Não diria que são o grande problema da igreja, mas talvez um dos, algo que precisa ser olhado com mais cuidado. Muitas pessoas cuidam bem de sua saúde física, se alimenta bem, faz exercícios físicos, bebe água, contudo não cuida das suas emoções, da sua alma. Esquecemos que somos formados de corpo, alma e espírito. Durante algum tempo nos preocupamos somente com o espírito.

Porque ainda existe em nosso meio uma grande dificuldade em abordar este tema?

Por que algumas pessoas ainda acreditam que as doenças são sinônimo de fraqueza e até mesmo de pecado encoberto. Essa é uma ideia errônea, pois encontramos na Palavra de Deus vários exemplos de servos do Senhor, fieis, mas que enfrentaram enfermidade no corpo e na alma, um exemplo é Jó e o profeta Elias. Também preferimos não abordar esse tema para não termos que lidar com questões difíceis, doloridas para nós. Preferimos negar e fingir que tudo está bem.

Muitas pessoas em nosso meio ainda relacionam doenças da alma com pecado e falta de fé. Como desconstruir esse tipo de pensamento tão enraizado no meio evangélico?

Sim. Infelizmente essa ideia não é nova e se perpetua até os dias de hoje. Esse tipo de pensamento somente será desconstruído pelo estudo sistemático da Palavra de Deus. O conhecimento da Palavra gera vida e vida saudável.


No início de cada capítulo tem uma poesia de sua autoria. Como surgiu esta inspiração? Sempre escreveu poesias?

Sempre gostei de poesias, acredito que faz bem para alma. Durante algum tempo arriscava alguns rabiscos, mas não tinha coragem de mostrar para ninguém e muito menos publicar. Contudo, desta vez fui tomada de uma coragem surpreendente e resolvi fazer as aberturas de capítulo com uma poesia. Tem coisas que sabemos e não temos como explicar; somente Deus. Atribuo a Ele a ousadia e inspiração.

Você tem mais de 30 anos de experiência como educadora cristã e já percorreu igrejas em todo o Brasil e também no exterior. Tem alguma experiência que você vivenciou ao longo dos anos e que compartilha com os leitores?

Sim. Compartilho muitas experiências. Muitas das minhas vivências estão nesse livro.

Ao final do livro, você aborda os “vírus” Jezabel e Acabe, nocivos à saúde da igreja. O que são estes vírus?

Jezabel é o vírus da religiosidade, da manipulação do sagrado na vida das pessoas; é o vírus da mentira, da popularidade e da perseguição à voz profética. Esse vírus infelizmente circula em nosso meio. O vírus de Acabe é o vírus da covardia, do evitar ser confrontado, do medo…

Quais são as principais características de uma igreja doente?

São muitas, mas vou tentar resumir: frieza espiritual, apatia, falta de amor, contendas, ciúmes, invejas, partidarismo, politicagem…. Escreveria um livro só com essas características. Todas são perniciosas e nos impedem de cumprir o nosso papel nessa terra: ser sal e luz.

Quais são os principais aspectos de uma Igreja Saudável?

Posso afirmar que são muitos os aspectos de uma igreja saudável. Mas, o principal é o fato de ser uma igreja Cristocêntrica. Jesus deve ser o centro, o primeiro e o único. Tudo que fazemos deve ser voltado para Ele, para a sua glória. Uma igreja saudável é também marcada, reconhecida, pela comunhão, koinonia e pelo amor ao próximo.

 

 

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    Edna Solange do Nascimento
    ago 24, 2019 Reply

    O tema é muito relevante. Que venham mais livros com este assunto, Telma Bueno, para que seja gerada em nós uma vida saudável e abundante como Jesus nos recomenda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *