Sobre o perdão… (Parte 1)

O perdão, quando não resolvido, exerce negativamente na vida das pessoas, interferindo na sua qualidade de vida.

A definição de perdão: é remissão de pena; desculpa; indulto. Isso é, esquecer o ocorrido; não mais considerar algo do que ocorreu relevante.

Por que as pessoas falam: – “Eu perdoo, mas não esqueço!” – Porque existe uma carga de emoção muito grande, que fica na memória da pessoa.

O perdão gera sentimentos e sensações negativas, como mágoa, raiva, rancor, ressentimento, que coopera com a destruição do ser humano.

Está provado que ao liberarmos o perdão, ocorre uma alteração em seu sistema imunológico, onde o organismo fica mais harmônico e há considerável melhora em seu funcionamento. O organismo, o nosso corpo somatiza, isto é, representa na pele, nos órgãos internos, tudo de ruim que a falta de perdão faz, como por exemplo intestino preso, dores musculares, dores de cabeça e de estômago, aftas e herpes.

Penso que devemos pensar no perdão, como algo, que ao liberarmos, estaremos fazendo uma espécie de detox. Liberando toxina, nocivas à nossa vida e organismo.

A nossa mente também terá menos peso, principalmente quanto às nossas memórias do passado.

Pense, reflita, libere o PERDÃO!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *