Raquel Imbriani: levando a Palavra através da música

Raquel Aguiar Imbriani tem 35 anos, é casada, mãe de dois filhos e membro da Igreja de Deus no Guará, em Brasília.

Assim como muitas adolescentes, Raquel Imbriani também teve sua fase de rebeldia e crise de identidade. Ela conta que a vida em família era uma bagunça. “Minha mãe não conhecia ao Senhor ainda, por isso eu e meus seis irmãos não fomos ensinados no caminho de Jesus”.

Aos 17 anos, ela conheceu Jesus e frequentou a Igreja Universal, mas não conseguiu se manter firme. Aos 18, após um desentendimento com a mãe, saiu de casa e foi para a casa de uma amiga. Nesse período, ela se envolveu com o espiritismo. “Fiquei aprisionada por uns dois anos. Participava de vários rituais satânicos, pensando serem guias de luz… Estava cega espiritualmente. Mas, Deus sempre usava pessoas para me falar do seu amor”.

Aos 19 anos, ainda solteira, Raquel teve o primeiro filho, Gustavo Miguel. “Não foi como deveria, com um marido, uma família… Mas através dele, Deus abriu meus olhos. Parecia que tudo o que amarrava a minha vida naquele centro espírita foi desatado com o nascimento do Gustavo Miguel. Entendi que não era aquela situação que Deus tinha planejado para mim”.

Ela conta que, mesmo ainda freqüentando o centro, sabia que não deveria estar ali e saía escondida daquele lugar para a casa de Deus. “Assistia aos cultos, adorava a Deus e com o tempo fui aprendendo a orar. Aprendi que orar é falar com Deus. Meus olhos espirituais foram abertos, e os que se diziam guias de luz, eram na verdade demônios que, ao descobrirem que eu estava indo para a Igreja, começaram a tentar me amedrontar. Via muitas coisas”.

Segundo Raquel, um dia, na cozinha de casa, tomando café, havia um saco de batatas em cima da mesa com uma faca enfiada na batata. Ela conta que a faca foi retirada por alguém que ela não via e lançada em sua direção. “Fiquei pálida, sem reação, mas na minha mente falei: Deus! E a faca caiu ao chão”.

Quando o filho já estava com três meses, ela decidiu abandonar o centro e voltou para a casa da mãe. “As correntes foram quebradas!!! Fui para a casa da minha mãe com meu filho. Minha mãe já havia conhecido Jesus, e o servia com todo o seu ser. Ela me ajudou a criar meu filho, enquanto eu trabalhava e estudava”.

raquel3Em 2001, Raquel conheceu uma pessoa com quem se casou. “Outra cilada! Cilada e falta de sabedoria minha. Ele era filho de pastor, mas nunca se firmava com Jesus”.

O casamento era baseado em brigas e, nesse período, Raquel teve sua fé enfraquecida. “Ele usava drogas. Eu resisti por um tempo, mas logo usei também. Cocaína e outras drogas mais pesadas”.

Raquel conta que por algumas tentou tirar a própria vida. “Era um espírito de suicídio que me perseguia. Tentei tirar a minha vida, me jogando na frente dos carros, me jogando no lago Paranoá. Fiquei inconsciente e, foi como se eu tivesse sido possuída por um mal que me jogou no lago. Eu não controlava, me via em outra posição. Não consigo descrever, mas não era eu dominando o meu corpo. Mas Deus me deu livramentos, e hoje sou liberta. Sei que nossas armas na batalha espiritual são jejum e oração! E vigilância também”.

Voltando para o Caminho

Após essas experiências, Raquel voltou para Cristo. “Deus me levou de volta para o caminho dEle. Em 2002, fui batizada com o Espírito Santo de Deus, recebendo dons do Senhor. Foi onde me firmei”.

O casamento não durou muito. Segundo ela, foram quatro anos de desespero e sofrimento. “Logo nos separamos e fui morar em Goiânia, para tentar esquecer de tudo”.

Em 2008, ela conheceu o atual marido, Marcelo Imbriani, em uma festa universitária em Campos Belos de Goiás. Ele estava a trabalho e Raquel estava de férias do curso Técnico de Enfermagem, a passeio na casa dos pais de uma amiga.

De acordo com Raquel, ele era de São Paulo, também vinha de relacionamentos que não deram certo e usava vários tipos de drogas. “Era uma vida sem Deus. Apresentei Jesus a ele. Ele teve muita resistência. Sua mãe era católica, mas, ele era muito envolvido com uma tia, que é espírita. E então conhecia muito desse mundo tenebroso também. Tinha muitas duvidas em relação a Deus e seus ensinamentos”.

Raquel conta que, aos poucos a Palavra de Deus foi entrando no coração dele, que foi aprendendo muito rápido. “Aprendendo como um teólogo (rsrs)”

Eles começaram a namorar, depois se separaram e, voltaram em definitivo, um ano e meio depois. “Nos casamos. Vi que era amor, posso dizer que conheci o amor! Deus preparou o Marcelo para mim e eu para ele. Quando nós dois já não acreditávamos mais que era possível amar e ser amado, respeitado, cuidado. Quando o vi, sabia que era ele (rsrs)”. O casal tem uma filha, Esther, que completa quatro anos, em janeiro de 2016. “Ela já canta desde que começou a falar para a Glória de Deus”.

Levando a Palavra através da músicaraquel2

Com os dois envolvidos com música, logo nasceu o ministério Anjos de Adoração, em 2012, e eles gravaram o primeiro CD, História de Amor. Em outubro de 2015, finalizaram o segundo CD, Chamados para Fora. “Eu não tinha voz para cantar, era muito ruim (rsrs). Até hoje, o Senhor tem me preparado. Tive problemas respiratórios, início de pneumonia, tomava medicamentos para respirar melhor. Deus havia usado muitos profetas, pessoas para falarem que Ele mudaria a minha voz, para cantar para Ele. Ganhar vidas através da música. Deus me curou! Fui percebendo a mudança de voz, e hoje posso cantar! Adorar a Deus e levar a Palavra cantada junto com meu esposo”.

De acordo com Raquel, o objetivo agora é colocar os projetos em prática para levarem a Palavra de Deus para o mundo. “Em igrejas também, mas, principalmente em lugares onde as pessoas possam conhecer Jesus. Para que , assim como a Palavra de Deus nos alcançou, possa chegar nas vidas perdidas também”.

O outro objetivo é conseguir abrir um centro de reabilitação, com médicos, psicólogos, mas que, principalmente possam ser reabilitados através da música, com oficinas, com aulas de instrumentos musicais, canto, entre outras. “Deus tem colocado esses sonhos em nossos corações, e tem nos guiado em tudo. Vemos o cuidado de Deus. Os dons, Ele tem nos dado e tem nos capacitado para levarmos a Palavra dEle através da música. Não temos palavras para agradecer”, finaliza.

Por Sandra Freitas

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    isabelle
    fev 16, 2016 Reply

    Raquel, minha amada! Lindo testemunho. E mais lindo ainda ver como nosso Deus muda circunstâncias e transforma vidas. Vcs são esse exemplo de milagre e esperança. Que o Senhor continue abençoando vcs e levando a palavra dEle através de suas vidas.
    A paz do Senhor minha princesa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *