Por que fazer terapia? (Parte 2)

O ambiente terapêutico deve ser um local em que o paciente se sinta seguro, acolhido, respeitado e compreendido.

E isso deve ser sentido nas primeiras sessões.

O processo terapêutico tem um começo, meio e fim e sua duração depende de cada caso.

O paciente tem direito de parar a qualquer momento as sessões de terapia, porém antes deve refletir sobre o motivo e conversar com o profissional.

Em muitos casos, o paciente quer desistir exatamente quando “entra realmente em terapia”, ou seja, quando está confrontando seus problemas.

O medo e a insegurança surgem, porém camuflada de desculpas : “estou sem tempo”, “estou sem dinheiro”, “estou bem”.

Um dos objetivos da terapia é gerar na vida do paciente, bem estar e qualidade de vida.

O bem estar, surge quando o paciente desenvolve equilíbrio emocional e controle das emoções frente as situações de sua vida.

A qualidade de vida aparece quando o paciente mostra-se feliz e capaz de resolver seus próprios conflitos.

Dessa forma, apresentamos a importância de fazer terapia/psicoterapia e também desmistificar as ideias equivocadas a respeito desse trabalho edificante e eficiente.

Aproveitando para esclarecer que a Psicologia existe há 58 anos e ainda é mal compreendida e aceita pela sociedade.

Psicologia é saúde física, emocional e espiritual.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *