O renovo do perdão para um novo ano

…Passou Esaú a odiar Jacó… (Gn 27.41a) Levantando Jacó os olhos, viu que Esaú se aproximava…então Esaú correu-lhe ao encontro e o abraçou, arrojou-se-lhe ao pescoço e o beijou,
e choraram (Gn 33.1,4)

No início de mais um ano, há de uma forma geral, o reconhecimento de estarmos recebendo mais uma chance, oportunidade. O evangelho reivindica coisas novas, renovadas… Boas novas, vinho novo, odres novos, novas criaturas, novo nome. Consideremos a decisão do perdão como um dos meios mais eficazes para um interior renovado.

Observando a história do texto acima, encontramos uma família composta por quatro pessoas. Pai, mãe e dois filhos, gêmeos. Em determinado momento, torna-se necessário, o afastamento de um dos filhos, que foge da ira do seu irmão. Vinte anos se passam em que se perdura o relacionamento rompido até que a Bíblia diz que Jacó seguiu o seu caminho e os anjos de Deus saíram a encontrá-lo

… e ele chamou aquele lugar de Manaim (Gn 32.1). Manaim, palavra hebraica que significa Campo Duplo, uma referência a caravana e a Companhia de Deus! Sim, o perdão é uma iniciativa de Deus. Jamais conseguiremos trilhar este caminho sem Sua Presença em nós.

O Senhor Jesus nos ensina como devemos perdoar (Mt 6.12, 14-15) = ASSIM COMO, DA MESMA FORMA, DO MESMO NÍVEL, e também que o perdão ou sua ausência, condiciona. Quem perdoa o outro, será perdoado, quem não perdoa não o será e, consequentemente, excluir-se-á do perdão da cruz.

Outro fator indispensável para o renovo do perdão é um coração humilde. A nossa dificuldade em perdoar, reside no fato de que não somos bons, mas Jesus nos convida a aprendermos com Ele. “Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração“.

Quando não perdoamos, nos tornamos opositores de Deus. Em Tiago 4.6, lemos que Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Ainda que feridos e magoados, descansemos na Graça que há em Deus para nós.

Lemos que Jacó teve medo e se perturbou… o seu emocional ficou alterado com a perspectiva do encontro, talvez até mesmo considerando a possibilidade de deixar as coisas como estavam… Algumas vezes, não poucas, consideramos essa possibilidade, recuamos, recuamos e adoecemos. Contudo, Jacó, vence sua luta interior, desarma-se.

Enquanto acontecia o Manaim (Presença de Deus) na vida de Jacó, o Senhor também movia o coração de Esaú. Sim, em Isaías 64.4, lemos que Deus trabalha para aquele que nEle espera, e Ele tem reservas de riquezas, quer seja de perdão, graça, bondade, misericórdia, tolerância, renovo (Filipenses 4.19).

Não existirão novos dias, anos, se retivermos sentimentos velhos que nos diminuem enquanto pessoas e nos afastam de Deus e de outros. Decidamos perdoar. Sim, o perdão é uma decisão, difícil, porém, através do perdão somos restaurados. O perdão tem a Graça do renovo, de libertação…

Em Cristo,

Lídia Lopes é bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, com convalidação na Escola Superior de Teologia (RS). Professora de Hermenêutica e Visão Panorâmica do AT e NT no Seminário Teológico do Oeste e Palestrante.

Comments

2 Comments
  1. Avatar
    posted by
    Bianca Graziela
    jan 9, 2016 Reply

    Amém! Que esta decisão seja sempre apreciada por nós, em 2016 e sempre. Texto abençoador!

  2. Avatar
    posted by
    orlanda vieira De Farias
    jan 10, 2016 Reply

    se alguem esta em CRISTO, nova criatura e, as coisas velhas se passaram. e es que tudo se fez novo. se estamos em cristo perdoamos tudo mas em nome de JESUS…por que somos falhos. parabens DEUS te abençoe LL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *