O admirável caminho da serpente… (Parte 2)

“Há três caminhos misteriosos demais para a minha compreensão…o caminho da serpente sobre a rocha…” (Pv 30.18-19b).

Ao contrário do extraordinário voo da águia, a cobra rasteja para se deslocar. Não é comum, sentir atração pelo comportamento natural deste animal, cuja primeira referência bíblica é de representação do mal; contudo, o Senhor Jesus alerta seus discípulos a serem astutos como a serpente (Mt 10.16b).

O sábio Agur, registra sua admiração pelo caminho da serpente sobre a rocha… a mesma não tem braços, pernas ou pés, mesmo assim desliza seguramente e o mais digno de notar: não deixa rastro! Não há como precisar a sua passagem, ela também se utiliza das fendas das rochas para fugas, face aos ataques dos inimigos, que servem para ela de abrigo, esconderijo.

Lições para nossa vida:

✔ Que ao trilharmos a estrada da vida, tenhamos o zelo de não deixarmos rastros, que de forma negativa, causem em outros o dissabor em ter nos conhecido; que saibamos ter sensibilidade para não desconstruir a confiança das pessoas no próximo.

✔ Que tenhamos prudência face aos prováveis ataques contra nós, e com presteza corrermos para nos refugiar nas fendas da Rocha; O Senhor é a nossa Rocha: “O Senhor é a minha Rocha e minha Fortaleza…” (Sl 18.2b); “Ele é a nossa Rocha, suas obras são todas perfeitas…” (Dt 32.4).

✔ Passaremos por muitos lugares na estrada da vida, muitos se tornarão especiais pelas pessoas extraordinárias que por vezes, temos o privilégio de conhecer… contudo, que nosso coração não esqueça que estamos passando, há brevidade nesta jornada… agora é o tempo para fazermos valer a pena.

Lídia Lopes é pastora, bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, com convalidação na Escola Superior de Teologia (RS). Professora de Hermenêutica e Visão Panorâmica do AT e NT no Seminário Teológico do Oeste e Palestrante.

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    Edna Solange
    mar 18, 2018 Reply

    Aprendi muitas coisas aqui, mas fui impactada com “o não deixar rastros negativos na maneira de ser”. Parabéns Lídia Lopes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *