Novos começos, com Ele!

Assim como algumas pessoas, eu confesso que também não me empolgo muito com as comemorações de final de ano. Amo celebrar o Natal, mas a virada de ano não me anima tanto… às vezes, me provoca até uma certa tristeza…

E vou explicar o porquê… muitas vezes colocamos expectativas de que, aquela virada no relógio, vai trazer uma mudança radical… tudo vai se encaixar e tudo aquilo que não conseguimos fazer ou vivenciar no ano que está findando, a partir de AGORA, vai acontecer, vai dar certo… mas, nem sempre é assim… ou melhor, quase nunca é assim… Na maioria das vezes, continua tudo lá, no mesmo lugar…

E depois de muitos anos, colocando minhas expectativas em pessoas e naquilo que eu gostaria de fazer, conquistar e realizar, aprendi a viver o que diz em Mateus 6.34: “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal”.

Pois é… quando os sonhos são frustrados e a dor é maior que o sorriso, eu me lembro de que Deus não trabalha de acordo com o nosso calendário… E, graças a Ele, isso não acontece… Ele não se limita ao nosso tempo, ao nosso relógio… Ele não precisa que haja uma mudança de horas, de dias, de semanas, de meses e de ano, para que possa fazer alguma coisa… Ele faz, quando Ele quer fazer! Aleluia!

Quando lemos o primeiro versículo da Bíblia Sagrada (Gênesis 1.1: ‘No princípio, criou Deus os céus e a terra’), temos a idéia de que Deus não precisa do tempo e de possibilidades favoráveis para realizar absolutamente nada em nossas vidas.

A palavra criar, no hebraico Bârâ, significa moldar, dar forma, fazer algo a partir do nada. E Deus é especialista em fazer algo a partir do nada!

Do nada, Ele criou os céus e a terra e tudo o que neles há! Do nada, da impossibilidade de uma gravidez na velhice, Ele fez de Abraão e Sara pais de uma nação! Do nada, e em meio a afrontas, Ele fez da estéril Ana, mãe do profeta Samuel! Do nada, Ele fez de Ester, uma órfã, a rainha que intercedeu pela libertação do seu povo! Do nada, quando todas as possibilidades já haviam se esgotado, Ele curou e transformou a vida da mulher do fluxo de sangue! Do nada, Ele fez de Maria, a virgem, mãe do Salvador!

E quantos outros milagres, em meio ao nada, presenciamos ou conhecemos ao longo de nossas vidas? Quantos milagres? Quantas curas? Quantos nascimentos? Quantas transformações? Quantas condições e circunstâncias revogadas? Deus não precisa do nosso tempo para mudar trajetórias, para anular o atestado médico, para revogar o decreto do juiz…

Portanto, que neste final de 2016, mesmo que nada tenha acontecido da maneira como nós planejamos, que possamos ter a certeza de que Ele continua no controle de todas as coisas! E quando tudo parecer ser o fim, lembre-se de que só Deus pode nos dar novos começos!

E que venham, cada dia de 2017, um a um, na presença Dele!

Sandra Freitas é jornalista e editora do Espaço da Mulher Cristã. Cursa Pós-Graduação em Sexualidade Humana pela Universidade Cândido Mendes. Membro da Assembleia de Deus em Cosmos, no Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *