Memórias curadas, novos comportamentos!

mentes2

A capacidade humana de armazenar memórias é realmente inacreditável. Lembramo-nos de cheiros, lugares, palavras e uma infinidade de coisas mais, e nem sequer percebemos o quanto estas memórias nos afetam, direta ou indiretamente. Alguns pesquisadores, inclusive brasileiros, têm gasto horas a fio tentando desvendar os segredos por trás de nossa memória.

Atos capítulo 1 relata o episódio da ascensão de Jesus aos céus. Dentre os personagens, Pedro, João e Tiago, os mesmos do relato da transfiguração descrito em Lucas capítulo 9. No passado, eles presenciaram Jesus sendo envolto por uma nuvem, com uma brancura superlativa em suas vestes e em seu rosto, e da voz que vinha do alto se ouviu: “este é meu filho amado de quem me comprazo”.

Contudo, agora era diferente! Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Este foi o som que veio na direção daqueles homens que, por andarem tanto tempo com Cristo, deveriam ter experiência que, sempre há algo novo. Este é o som que deveríamos ouvir todas as vezes que paralisamos diante de uma situação, muitas vezes traumática, que parece se repetir e nos fazem paralisar.

É bem verdade que a vida é um ciclo, mas não devemos reagir a ela como se já tivéssemos visto tudo. Enquanto olhavam para o alto, os discípulos sinalizavam uma expectativa de que os eventos se repetissem, e consequentemente ignoraram o novo. Porém, Jesus, já os havia advertido.

“E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (João 14:3)

A cena até era parecida, mas a ocasião era outra, sugeria outras ações. Jesus já havia preparado seus discípulos para um tipo de comunhão diferente, contudo, suas memórias os traíram. Na espera que todo o ciclo se repetisse, pararam sem ação, apenas RE-agiram, estimulados por uma ação anterior.

Enquanto reagimos às memórias corremos o risco de não perceber o novo. Os discípulos precisaram de uma advertência: O Jesus que hoje vês subir, vai voltar. Você pode imaginar se a advertência fosse pra você? Nem sequer tenho a dimensão de quanto somos limitados por nossas memórias não tratadas!

Eu creio num tempo de novidade do qual Deus tem reservado para os seus. Para tanto, precisamos sujeitar nossas vidas ao Senhor, inclusive nossos comportamentos que militam contra a ação plena do Espírito Santo. Tempo novo! Visão nova!

Que a ousadia invada nossas mentes para vivermos a plenitude da ação do Senhor hoje! Memórias curadas, novos comportamentos!

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2Co 5:17)

Joyce Consoli é casada, mãe de três filhos; congrega na Igreja Batista Shalom em Brasília; e atua no Ministério de Louvor e pregação da Palavra.

1 Comment

  • Que palavra abençoada e verdadeira que possamos viver o novo de Deus curada para curar outros que necessitam que o senhor na sua infinita bondade continue te usando com ousadia e obediência minha amiga.

Deixe seu comentário