Lute como uma garota!

lute2

Já se viu no meio de uma guerra onde seu único pensamento era desistir? Se pararmos para analisar as belas poesias bíblicas, veremos muitos momentos de glória, mas que são antecedidos por guerras que se parecem invencíveis, como aquelas que travamos nos nossos dias. Pense no cenário do Salmo 91, você o recitaria de cor. Mas precisa saber que enquanto caem mil ao teu lado e dez mil à tua direita não significa que você estará sentada em uma rede e isenta da guerra. Ainda assim, não precisa temer os danos do combate, afinal, você não será atingida! (Sl. 91.7)

Davi sentiu o amargor da falta de respostas. Sim, o homem a quem Deus encontrou, experimentou o silêncio do Altíssimo. Não há respostas todo tempo, e há quem diga que o silêncio testa nossa obediência aos propósitos já estabelecidos pelo Altíssimo. A certeza é que, mesmo em meio ao silêncio há misericórdia ao que espera. Na face do silêncio, ecoa a voz de um adorador: “Mas eu confiei na tua misericórdia; meu coração se regozijará na tua salvação”. (Sl. 13.5)

O que dizer então quando o pecado bate a porta e o alvo muda de direção? Afundados no desânimo rompem-se os acessos ao Pai por não conseguir considerar saídas ao fracasso. Não sabemos lidar com fracassos! Deus sabe! Enquanto no lamaçal, surge uma nova canção, é o mesmo Davi. “Cria em mim um coração limpo… Restaura-me a alegria da tua salvação. Ouve-se então a canção que renova a alma e lava as vestes”. (Sl. 51)

O conceito de guerra pode ser variável. Contudo, se há guerras, haverá cânticos!

Em toda história do povo de Israel, há cantos de vitória. Todavia, tais cânticos não proclamam apenas a imagem de um Deus de vitória. Em comum, mostram a fidelidade de Deus em meio à guerra. Enquanto saíam em direção a Jerusalém para congregar-se, o povo caminhava e cantava: “Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro”. Não, não interrompa sua caminhada rumo ao lugar da adoração nos tempos de dificuldades. Pelo contrário, se apegue à promessa de que “o Sol não te castigará de dia nem a Lua de noite” e siga em frente. (Sl. 121).

Guerras são individuais e muitas vezes solitárias. Muitas forjam o caráter, outras minam sua fé. A diferença de resultados se dá pela forma de encarar cada uma delas. O conselho para os que se sentem fracos é, “se te enfraqueceres no dia da adversidade, tua força é pequena” (Pv. 24.10). Aos cansados, Jesus diz: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, eu vos darei descanso” (Mt. 11.28). Para os que não interrompem a adoração, mesmo na guerra há livramento “Porque eu expulsarei as nações do meio de ti e alargarei os teus termos. Nenhum homem cobiçará a tua terra, quando subires para aparecer diante do Senhor teu Deus.” (Ex. 34.24). Para todos os momentos há um compromisso da parte de Deus com seus filhos “Nunca jamais te deixarei, nem te desampararei.” (Hb.13.5).

Não desista de suas guerras! Lute como uma garota!

“E Deus enxugará todas as lágrimas de seus; e não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem haverá mais dor; porque as coisas antigas são passadas.” (Ap.21.4)

Joyce Consoli é casada, mãe de três filhos; congrega na Igreja Batista Shalom em Brasília; e atua no Ministério de Louvor e pregação da Palavra.

Deixe seu comentário