Lídia Lopes: “Para eles e para nós – a revelação progressiva da Voz de Deus”!

Lídia Lopes é natural do Recife, mas escolheu o Rio de Janeiro há mais de duas décadas. Atua como pastora auxiliar na Igreja Cristã Presbiteriana no bairro do Sete de Abril, na capital fluminense. Ela é formada em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (STBSB); graduada pela Escola Superior de Teologia, no Rio Grande do Sul; pós-graduada em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade de Educação São Luís/Jaboticabal (RS).

Professora de Hermenêutica, Teologia Sistemática, Apologética e Análises de Isaías e Romanos, Lídia leciona no Seminário Betel Brasileiro, no Seminário Teológico do Oeste e no Instituto Bíblico Reverendo Carlos Malafaia. Além disso, atua como auxiliar de coordenação em uma escola pública no Rio de Janeiro; e é também uma das principais articulistas do Espaço da Mulher Cristã.

No dia 06 de setembro, às 19 horas, ela estará na Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, lançando seu primeiro livro, “Para eles e para nós – a revelação progressiva da Voz de Deus”, pela PoDeditora.

Nesta entrevista exclusiva concedida à jornalista Sandra Freitas, ela fala sobre a vocação e o amor pela área de ensino; sobre o chamado pastoral e a realidade da igreja; e sobre os projetos para o futuro. Confira!

Como teve início o seu chamado ministerial? Em que momento você percebeu que o Senhor lhe chamava para ensinar e pastorear?
A base da minha educação sempre foi cristã, e a Bíblia sempre foi um livro comum, ao alcance de todos, na minha família. Contudo, só na adolescência/juventude, quando de fato tive a experiência singular e transformadora com Cristo, é que a vocação, o chamado para o ministério cristão aconteceu. De início, estudei no Seminário de Educação Cristã/SEC, em Recife; e depois, vindo para o Rio de Janeiro, no STBSB. Também servi a algumas igrejas Batistas como Educadora Cristã. A primeira convicção da vocação está relacionada ao ensino; já leciono em instituições teológicas há quase vinte anos, bem como nas igrejas, congressos etc… Amo o ensino cristão teológico; é extraordinária a Revelação do Senhor! E o Ministério Pastoral acontece como resposta a ações de aconselhar, conduzir, ensinar, cuidar que, naturalmente, o Senhor proporciona.

Como foi a reação da família?
De certa forma, a família sempre percebeu a minha vocação e acredito que amam e respeitam a Obra do Senhor em minha vida… minha mãe é minha intercessora contínua.

Como e quando surgiu o projeto do livro “Para eles e para nós”?
O livro é um projeto, eu diria, desde que a vocação aconteceu; contudo, o “esboço” e a convicção, em salas de aulas, nos debates teológicos com os alunos, no decorrer desses anos que leciono.


No que consiste “a revelação progressiva da Voz de Deus”?
Na evidência da Revelação Especial, as Escrituras, ter sido revelada através de um povo, Israel e tal revelação foi sendo ampliada em conteúdo e iluminação, no decorrer dos séculos, na história bíblica, em diversas culturas, na mente humana – “Desde a antiguidade anunciei os eventos que viriam a ocorrer, da minha boca é que tais notícias saíram e Eu fiz com que todos ficassem sabendo; então, de repente agi, e eles realizaram” (Is 48.3). O Senhor foi revelando-Se em atributos, vontades e princípios.

Qual o objetivo deste trabalho?
Em primeira instância, promover a Glória de Deus; pois, quando atentamos para o cenário em que a Palavra foi revelada, com seus costumes, sua geografia, cosmovisão e percepção sobre Deus que o povo bíblico tinha, em determinado momento, a mensagem bíblica é mais clara, coerente. E certamente, identificamos em alguns erros hermenêuticos e somos mais facilmente transformados pela Palavra. Objetivamos também através das mensagens, auxiliar no fortalecimento da fé e prática cristã.

Como o livro está dividido?
O livro apresenta-se com uma introdução hermenêutica, depois mensagens textuais com oportunidade de, a cada dez, o leitor interagir e escolher a que mais foi contundente para sua edificação; conclui com uma reflexão explicativa de “Para eles e para nós”.

Na apresentação do livro fala sobre a “legitimidade do que foi dito através da Palavra”. Com tantos modismos que temos visto hoje no meio da igreja, podemos dizer que alguns têm se afastado da legitimidade da Palavra? Como voltar ao verdadeiro Evangelho e ao verdadeiro ensino das Escrituras?
É nítido e profundamente lamentável o curso da interpretação da Bíblia; fala-se, prega-se e reivindica-se o que se quer, em nome de um evangelho, que não é o da cruz de Cristo, em que o homem está reinando; o evangelho falso e sensacionalista, em que se desconsidera da interpretação bíblica, os povos com suas culturas, filosofias, percepção de Deus e até mesmo da sua geografia. E assim fazendo, “força” a Palavra de Deus a dizer o que nossos egos ardentemente desejam ouvir… Como voltar? “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor”… busquemos ao Senhor, À Sua Palavra e ao Seu Evangelho, que apontam para Ele e sua Obra redentiva.


Na introdução você fala que “o propósito primário de estudarmos a Bíblia, não é aumentar o nosso conhecimento, mas, permitir que os seus ensinos transformem nossa vida”. É algo muito simples e básico no Cristianismo; e porque tantas pessoas e igrejas têm negligenciado essa máxima?
Sim, este é um princípio hermenêutico. A priori do nosso estudo bíblico não é para sabermos sobre ela exclusivamente no âmbito do conhecimento, mas de fato, através do seu conhecimento, sermos pelos seus princípios, transformados.  Este é o sentido de a termos como regra de fé e prática. Porque a negligência em relação a esta verdade? Mais uma vez, nos reportamos ao evangelho falso, onde a promoção é humana, egoísta e carnal, distante da Voz do Alto; onde o Evangelho da cruz, do confronto com nossos pecados e mazelas, que reivindica submissão ao Senhorio de Cristo, cujo Reino não é deste mundo, não encontra lugar…

Como é lançar o seu livro na Bienal do Rio de Janeiro? Em algum momento, você imaginou essa possibilidade?
Uma experiência graciosa! A Bienal do livro é o maior evento literário do País; minha participação sempre foi como leitora e este ano ir como autora, será um marco na minha história. Digamos que, em alguns momentos, sonhei com este acontecimento.

Você é pastora auxiliar na Igreja Cristã Presbiteriana, no Sete de Abril, e sempre priorizou o ensino da Palavra. Qual o diferencial de uma igreja que prioriza o aprendizado e o conhecimento da Palavra de Deus?
Acredito que o diferencial está em manifestar o Cristo Crucificado e vitorioso. O anátema prega o evangelho estranho, que agrada multidões; o evangelho de Cristo aponta para Ele, faz discípulos para Ele, que O exaltem, que temam e atentem para o que Ele diz. Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas, glórias pois a Ele, eternamente, amém.


Como é a experiência de pastorear?
Um aprendizado contínuo e desafiador; é um sentimento de cuidar e conduzir,  sempre para a Fé no Pastor por Excelência, Jesus!

Na vida secular, no seu trabalho, como você desenvolve seu ministério?
Opto pela postura de compartilhar o que Deus tem feito, partilho esperança e temor a Deus, não levanto a bandeira da religiosidade, mas da fé dinâmica, viva.

Como você faz para conciliar tantas atividades?
(Risos) Não sei se faço tanto assim… mas, naquilo que realizo, existe um prazer muito valioso; amo a vocação, o ensino, o aconselhamento…

O que a Lídia pastora, professora e escritora almeja para o futuro? Já tem o projeto de um novo livro?
Sim, tenho algumas novas metas, novos projetos e sim, o pequeno rascunho de um novo livro. Mas nada se valida na minha vida, sem a ação do Alto, por isso, descanso; assim como foi um guia perfeito, condutor e Senhor para eles, também para nós e graciosamente, para mim… nisto creio!

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    Edna Solange do Nascimento
    ago 31, 2019 Reply

    Lídia Lopes, você é D+.❤️

Deixe uma resposta para Edna Solange do Nascimento Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *