Faxina pode ajudar a queimar calorias

faxina1

Que tal encarar a faxina como uma atividade física complementar? Se nunca pensou nisso, saiba que, ao limpar a casa, é possível queimar calorias e ainda fortalecer os músculos do corpo.

Baseado em tabelas internacionais, Moises Marinho, Coordenador Técnico da Bodytech, faz uma estimativa do gasto calórico nas principais tarefas domésticas, considerando uma pessoa de 60 kg e de acordo com o tempo empregado em cada tipo de atividade.

Lavar roupa (empurrar e puxar a roupa com vigor): 60 calorias / 30 minutos
Músculos trabalhados: bíceps, tríceps e deltoides, além da estabilidade do tronco para uma melhor postura e do antebraço, ao realizar a atividade com firmeza.

Varrer, esfregar o chão ou passar aspirador de pó: 90 calorias / 30 minutos
Músculos trabalhados: Peitoral, dorsais e deltoides (musculatura na altura da clavícula, responsável pela elevação do braço). Ativação dos músculos posturais, para manter a estabilidade, e membros inferiores durante o deslocamento.

Lavar louça, limpar a pia e o fogão: 75 calorias / 30 minutos
Músculos trabalhados: Deltoides e antebraço.

Passar roupa: 69 calorias / 30 minutos
Músculos trabalhados: Bíceps, tríceps e deltoides. A atividade oferece estabilidade ao tronco, melhorando a postura, além de fortalecer o antebraço ao segurar com vigor o ferro de passar.

Arrumar camas e armários, tirar poeira dos móveis: 75 calorias / 30 minutos
Músculos trabalhados: músculos paravertebrais (musculatura que dá apoio à coluna) e do abdômen, acionados o tempo todo para estabilização da coluna, além de todos os músculos dos membros superiores, acionados em diferentes estágios do processo.

Vale lembrar que, assim como qualquer atividade física, a faxina também pode ocasionar lesões. Por isso, é preciso ter cuidado com a postura. Moises Marinho dá algumas dicas para não se machucar. A primeira é manter o abdômen levemente contraído para proteger a região lombar. A musculatura paravertebral também é exigida o tempo todo. É preciso estar atento à queda e projeção dos ombros, após um longo tempo realizando a atividade, que acontece pelo cansaço dos músculos dorsais. Nesse momento, é recomendada uma pausa nos exercícios, já que um período muito extenso nessa posição pode causar compressão excessiva das vértebras torácicas e cervicais.

Outra orientação é flexionar os joelhos e agachar para pegar objetos no chão, mantendo a estabilidade do tronco. O alongamento também deve ser inserido na rotina, levando em conta que muitas das posições e rotações do tronco exigem mais flexibilidade e elasticidade dos tendões. Não realizar essa etapa preparatória pode resultar em tendinite ou lesão do tecido do tendão, que leva mais tempo para se regenerar que o tecido muscular.

Fonte: Porta-Voz Comunicação Estratégica

Deixe seu comentário