Em busca do tesouro perdido

“…qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e, perdendo uma delas, não acende uma candeia, varre a casa e a procura diligentemente ate encontrá-la?” (Lc 15.8)

Os ouvintes de Jesus alcançaram com precisão o valor da dracma perdida para uma mulher da Palestina. Historiadores afirmam que as dez dracmas representavam o valor correspondente a um anel de casamento. Perder uma que fosse, seria como perder um grande tesouro… À semelhança do valor da dracma, há um tesouro perdido para muitas pessoas, o interior em paz, curado.

Há uma necessidade gritante, na busca pela cura interior, que significa a restauração, cura do Homem interior, A Mente, Vontade e Emoções, que são as áreas da alma.

  • Mente – nela estão arquivadas todas as nossas lembranças, boas ou ruins (o arquivo morto, às vezes, nem tão morto assim…).
  • Vontade – nosso instrumento para tomar decisões, somos livres para escolher, cada escolha gera resultados, positivos ou negativos. Jesus, ao falar sobre escolhas, afirmou ter escolhido a Vontade do Pai – …não seja feita a minha vontade, mas a tua (Lc 22.42)
  • Emoções – instrumento, através do qual, expressamos o que sentimos (amor, ódio, tristeza, alegria etc…).

Essas áreas da alma, quando não cuidadas, mal tratadas, podem sinalizar um interior enfermo e o resultado será, ressentimento, rejeição, auto piedade, depressão, culpa, medo, baixo auto estima etc…

Torna-se urgente a busca pelo tesouro perdido, a cura interior, o estado de paz.  Dois passos são fundamentais, a saber,

  • Reconhecer a real necessidade -… porque estais assim abatidas minha alma? Porque te angustias dentro de mim?… (Sl 42.5a) – a sinceridade acerca da condição interior, e o primeiro passo em busca do tesouro.
  • Crer na intervenção do Senhor – …sejam conhecidas diante do Senhor todas as vossas necessidades… e a paz de Deus que excede… guardará os vossos corações. (Fp 4.6-7). Davi creu na intervenção divina para a cura da sua alma – Sl 51.10 …Cria em mim o Deus um coração puro e renova dentro de mim, um espírito inabalável.

Que  busquemos esse tesouro, a cura interior, e certamente, ao encontrá-lo, seremos pessoas mais saudáveis, operantes, abençoadoras, onde quer que estejamos.

Em Cristo,

Lídia Lopes é bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, com convalidação na Escola Superior de Teologia (RS). Professora de Hermenêutica e Visão Panorâmica do AT e NT no Seminário Teológico do Oeste e Palestrante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *