Ele se importa!

Todas as vezes que Jesus se aproximava das pessoas, o que se esperava eram milagres. Aos mensageiros enviados por João Batista, Jesus disse: “os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres está sendo pregado o evangelho” (Mateus 11.5). Por cada cidade que passou, em cada casa que entrou, e até mesmo aos que estavam pelo caminho foi dado a oportunidade de experimentar a bondade do Mestre que, de tal forma se compadecia, que mudava a realidade dos que o encontravam.

Jesus foi aquele que chamou pessoas comuns para andar com ele e os fez homens notáveis; que curou na Galileia, Cafarnaum e por todo lugar em que passou; libertou um homem, uma mulher, um filho, uma filha, e tantos outros que não se pode contar; subiu no monte para orar, subiu no monte para ensinar, e também foi ele quem ensinou a orar. Alimentou uma multidão, ressuscitou o único filho de uma viúva, ressuscitou a filha do chefe da sinagoga, curou a sogra de Pedro e também o criado de um oficial. Foi ele quem se assentou com pecadores, repousou na casa de um deles, que curou um cego pelo caminho, curou dez leprosos em outro caminho, e que mudou o seu caminho para se encontrar com uma mulher.

Acalmou a tempestade, multiplicou pães, ensinou aos pobres, transformou água em vinho; acolheu os rejeitados, transformou histórias, ensinou a servir e serviu de exemplo; de suas vestes saia virtude que curava, Mateus diz que a todos que o seguiram ele curou (Mateus 12.15). Recebeu os pequeninos, e a pequena oferta de uma viúva, chorou diante da agonia de duas mulheres na morte de seu irmão e diante do túmulo chamou seu amigo para forae assim mais um morto foi ressuscitado.

“Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos. ” (João 21.25)

Em todos os relatos dos milagres feitos por Jesus registrados nos evangelhos existe um fato comum em praticamente todos eles, a capacidade de sentir o que o outro sente era o que motivava o doce Mestre Jesus. Ao se compadecer da multidão, curou seus enfermos e alimentou a todos (Mateus 14.14); profundamente compadecido com o estado de um leproso, o tocou e o limpou (Marcos 1.41). Foi assim também com a viúva a qual o filho morrera e ele ressuscitara (Lucas 7.13); foi assim com Marta e Maria (João 11.33), e tem sido assim comigo e com você.

Os milagres sempre foram precedidos por uma compreensão do estado emocional dos que o esperavam, Jesus compreende a aflição da escassez, a vergonha da lepra, a urgência da ressurreição, e a dor de um coração sem esperança. Enquanto fazia seus milagres deixava registrado o quanto se importava conosco, cada relato é composto não só da majestade e poderio do nosso Deus, mas também da forma pessoal como somos vistos por Ele. O verbo, filho perfeito de Deus, se fez carne e habitou no meio dos homens afim de anunciar seu amor através de seu sacrifício na cruz, mas deixou um recado para mim e para você durante toda sua trajetória aqui nessa terra: “Sei como se sente, pois me importo com você!”.

Joyce Consoli é casada, mãe de três filhos; congrega na Igreja Batista Shalom em Brasília; e atua no Ministério de Louvor e pregação da Palavra.

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    Jacqueline
    nov 8, 2016 Reply

    Palavra linda que nos demonstra o amor incondicional de Jesus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *