Diferença salarial entre homens e mulheres é maior na faixa dos 40 anos de idade

Conforme a idade da mulher brasileira aumenta também cresce a diferença em relação ao salário pago aos homens, sempre maior. É o que mostra estudo divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira, Dia Internacional da Mulher. A pesquisa comparou o rendimento médio de trabalhadores de 25 a 49 anos de idade dos dois grupos. Essa desvantagem salarial existe independente da profissão. Da auxiliar de serviços gerais aos cargos de gerência, em média as mulheres sempre recebem menos.

Em 2018, trabalhadoras da faixa etária mais jovem, de 25 a 29 anos, recebiam 87% do rendimento médio dos homens. Na faixa de 30 a 39 anos, elas ganhavam 81,6%. Mas, entre as de 40 a 49 anos, o percentual baixava para 75%. Nesse último grupo, o rendimento médio da mulher era de R$ 2.199 e o do homem, R$ 2.935

– Podemos apontar duas razões. Uma delas é o fato de as mulheres mais novas terem escolaridade mais elevada que as mais velhas e estarem inseridas em ocupações que pagam mais. A outra tem relação com a maternidade e os cuidados com outros familiares, que muitas vezes acabam levando a mulher a se afastar do mercado por alguns períodos. Quando ela volta, pode ter mais dificuldades de se inserir com o mesmo salário – explica Adriana Beringuy, pesquisadora do IBGE.

Ela complementa explicando que todos ganham mais quando ficam mais velhos, só que o crescimento dos rendimentos dos homens é mais acentuado que o das mulheres. Enquanto os homens de 40 a 49 anos ganham, em média, 59% mais que os de 25 a 29 anos, entre as mulheres desses dois grupos a diferença é menor, de 37%.

A professora Bianca Nogueira, de 40 anos, moradora de São Paulo, exemplifica os números da pesquisa. Ela trabalhava em um colégio renomado da capital paulista e foi demitida logo após retornar da licença-maternidade. Hoje, ganha a metade do salário que recebia antes da gravidez. No período em que buscou recolocação, uma outra escola queria lhe pagar salário/hora inferior ao oferecido aos professores já contratados para a mesma função.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *