Deus tem uma nova história pra você!

“porque dizia consigo: Se eu tão somente tocar a sua veste, ficarei sã”. (Mateus 9.21)

A mulher do fluxo de sangue era uma judia que viveu na época de Jesus e tem sua história registrada nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. Em nenhum dos evangelhos seu nome é citado. Sabemos apenas que ela padecia daquele mal havia doze anos; não eram doze dias, nem doze meses. Pelo tempo que ela enfrentava aquela doença, podemos dizer que ela era, no mínimo, uma jovem senhora.

A Bíblia também não fala se ela era casada, mas como diz que ela gastou todos os seus recursos durante aquele período em busca da cura, podemos dizer que, provavelmente, ela tinha um marido; porque naquela época, as mulheres não tinham independência financeira. Podemos dizer também que ela era uma mulher de posses, pois tinha dinheiro para gastar com médicos e remédios, apesar de, após doze anos, os recursos já estarem chegando ao fim.

Para o Judaísmo, de acordo com livro de Levítico, quem sofria com fluxo de sangue era considerado imundo, e não podia ter contato com as demais pessoas; não poderia tocar em ninguém e nem ser tocado por ninguém. Até mesmo objetos usados no dia a dia, se tocados por alguém considerado impuro, perdiam o valor. A pessoa impura era excluída do convívio em sociedade até que voltasse a ser pura novamente. Podemos imaginar a situação daquela mulher que, por doze anos, viveu isolada da sociedade em busca de solução para o seu mal.

Aquela mulher estava há doze anos enfrentando aquela hemorragia.  Aquela mulher já enfrentava aquela doença muito antes de Jesus iniciar seu ministério; mas aquilo tudo tinha um propósito. E percebemos também que, naquele momento, Jesus estava indo realizar outro milagre na casa de Jairo. A filha de Jairo tinha a mesma idade da doença daquela mulher. Há doze anos havia alegria na casa de Jairo e havia dor na vida daquela mulher. E as duas histórias se encontram no mesmo momento, onde Jesus vai trazer cura e restauração às duas famílias, porque tudo o que Deus faz tem um propósito. Muitas das vezes, não estamos enfrentando uma doença física; mas, há quanto tempo temos carregado problemas, traumas, lutas que não vemos mais possibilidade de solução? E muitas vezes, nos perguntamos: o que Deus quer com esse negócio?

Ela não desistiu. Foram doze anos buscando médicos e buscando a cura. Ela não ficou em casa chorando, nem se lamuriando. Ela buscou o conhecimento disponível na época; ela buscou a solução onde pôde e enquanto pôde. Pode ter sido enganada por vários médicos que só queriam o seu dinheiro. Pode ter ouvido muitas palavras de esperança, mas nenhuma delas teve o resultado esperado.

Ela ouviu falar de Jesus. Por mais difíceis que tenham sido os últimos doze anos na vida daquela mulher, quando ela viu mais uma oportunidade, ela disse: “eu vou acreditar de novo; eu vou tentar de novo”. Depois de 12 anos de luta, ela poderia ter desistido… e ela deve ter ouvido isso de muitas pessoas: “pra que tentar?; esquece isso”. No entanto, quando ela ouve falar de Jesus, que realizava milagres, ela começou a ter uma nova esperança, de que algo agora poderia ser diferente.

Ela resolveu tomar uma atitude diferente. Ela tocou em Jesus de forma especial e dEle saiu virtude. Ela percebeu que Jesus era alguém diferenciado que merecia um toque especial. Vemos desde o início da história que ela era uma mulher de atitude e fé. E colocando sua fé em movimento, ela foi ao encontro dAquele que teria a resposta para a sua dor. Ela foi em silêncio; ela não gritou, ela foi escondida; mas, nesse silêncio, Jesus percebeu que algo especial havia acontecido. São nos momentos de intimidade que percebemos a virtude de Jesus saindo e nos alcançando; é na intimidade com Jesus que o milagre acontece.

Quando ela é percebida, ela precisa se identificar. Quando Jesus questiona quem lhe havia tocado, os discípulos refutam a fala de Jesus: “Senhor, é muita gente, a multidão te oprime, e o Senhor quer saber quem foi que te tocou? (grifo meu)”. Ela não se revelou porque sofria de um mal que dizia que ela estava impura; ela nem poderia estar ali. Ela fez tudo escondido para não ser descoberta, mas sabia que só precisava tocar em Jesus. Jesus então pede para que ela se apresente porque Ele quer fazer uma revelação pública. Se ela fosse curada e voltasse para casa em silêncio, ninguém saberia que o milagre havia acontecido. Jesus precisava mostrar aquela mulher para o povo para restaurar sua vida por inteiro. Ela não teria só a cura física, mas a cura social; mostrar para aquela sociedade que a discriminava, que ela estava curada.

Você não precisa estar perfeito para se encontrar com Jesus. Somos curados das nossas mazelas quando temos um encontro verdadeiro com Jesus. Nós que somos trevas, quando nos aproximamos dEle, passamos a refletir sua maravilhosa luz. A lei dizia que aquele que tocasse no morto ou em algo impuro, ficava impuro. Mas, com Jesus é diferente! Ele toca no que é imundo e impuro e purifica; traz perdão, alegria e restauração. Ele não apenas curou a doença física daquela mulher, mas a restaurou por completo e lhe deu uma nova história, assim como quer escrever na vida de cada uma de nós. Qual é o mal que tem nos feito padecer? Se aproxime de Jesus sem alarde, mas toque nEle de uma forma diferente, de uma forma especial!

Comments

1 comentário
  1. Avatar
    posted by
    Edna Solange do Nascimento
    out 17, 2019 Reply

    Sandra, que texto maravilhoso! Edificador. O trecho mais impactante é: “Ela não teria só a cura física, mas a cura social; mostrar para aquela sociedade que a discriminava, que ela estava curada”. Pura revelação do céu. Parabéns!

Deixe uma resposta para Edna Solange do Nascimento Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *