Delzimar Santos: Deus a colocou de pé para fazer uma grande Obra

Desde a adolescência, durante as atividades de educação física no colégio, Delzimar Santos, hoje com 44 anos, sentia muitas dores nos joelhos. Eles inchavam e depois melhoravam, mas todos diziam que era a chamada “dor do crescimento”.

Em 1995, depois de quatro anos de casada, ela teve um filho e a gravidez foi excelente. No entanto, quando o filho Renato estava com cinco meses, começou a trajetória rumo a dores e sofrimento. “Os joelhos incharam muito e ficaram rígidos, não mexiam nem para frente nem para trás. Nesta época, estava morando em Belo Horizonte (trabalhava na obra missionária com meus pais, meu marido e meu filho) e precisei voltar para o Rio de Janeiro para iniciar um tratamento. Em princípio, eram apenas os joelhos”.

O diagnóstico

A família voltou para o Rio de Janeiro, pois o marido de Delzimar estava desempregado, na época. Mesmo com dificuldade, ela foi trabalhar em uma escola como coordenadora pedagógica. “Precisava trabalhar, e no serviço, eu tinha plano de saúde, mas os remédios eram muito caros. Foram momentos muito difíceis e as outras juntas do meu corpo também começaram a doer, inchar e enrijecer. Tomei vários remédios e os médicos achavam que era febre reumática. Foram mais de 150 benzetacil e outras vacinas. O pior é que eu não precisava desses medicamentos e o problema só aumentadeusa2va. Depois de dois anos, um novo tratamento foi iniciado e veio o diagnóstico:  Artrite Reumatoide”.

Com o novo diagnóstico, ela começou a usar outros medicamentos que tiravam um pouco as dores nas articulações, mas bombardeavam os rins, coração e visão. “Fiquei muito inchada, muita medicação forte… Não aguentava mais andar sem o auxílio de muletas e mesmo assim ainda precisava ir trabalhar”.

Delzimar conta que, nesse período, o carro da escola a buscava em casa, mas ela ainda enfrentava problemas na hora de se vestir, pentear os cabelos e até mesmo escovar os dentes, e contava com a ajuda do filho, então com três anos. Na escola, as professoras a ajudavam a terminar de se arrumar e colocar a meia e o tênis no filho (isso ele ainda não sabia fazer).

Segundo ela, a doença tem um período de rigidez matinal que dura aproximadamente duas horas. Ela fazia todo o trabalho sentada, mas o problema era na hora de escrever, pois os dedos demoravam para mexer. “E quando precisava levantar para pegar um material, ou olhar o andamento das atividades, eu usava as muletas e ia bem devagar, orando a Deus para nenhuma criança passar correndo e me derrubar. Deus me abençoou e me aposentei com 32 anos. Glória a Deus!”

Com o passar dos anos, a doença foi agravando. Não era mais possível usar as muletas e o inevitável aconteceu… “Sentei em uma cadeira de rodas, não conseguia ficar de pé… (pausa), as lágrimas não são possíveis conter agora. Eu ficava deitada em uma cama, levantava apenas para ir ao banheiro. Neste período ainda conseguia ir à igreja, fazia a parte do louvor sentada na cadeira de rodas. É muito difícil louvar em meio às dores…”

Mesmo em meio às dificuldades, Delzimar entende que Deus tem seus planos e está no controle de todas as coisas. “Mesmo quando fiz teologia, aos 16 anos, não tinha lido a Bíblia toda. Era um sonho que sempre ficava para depois por falta de tempo… pois é, deitada na cama não tive alternativa, LER A BÍBLIA, e a li em 4 meses”.

Oportunidade da cirurgiadeusa8

Delzimar então entrou na fila para a cirurgia bilateral do quadril. Segundo ela, a espera foi angustiante, mas de muito aprendizado. “Eu pensava que não iria resolver, tinha medo, pensava em desistir. E dizia: ‘ Meu Deus, todos estão vivendo agora, e eu vou acabar aqui, nesta cama. É o meu fim, não tem jeito’”. E por várias vezes, quando ela pensava em desistir, Deus levantava alguém para orar com ela, cantar e Deus alegrava seu coração”.

Nesse período, os pais continuavam fazendo a Obra em Minas Gerais, mas estavam sempre presentes. “Minha mãe sempre falava que eu faria a cirurgia, voltaria a andar e daria meu testemunho em todas as igrejas onde ela contava minha história. Eram muitas as igrejas que oravam por mim”.

A doença só agravava e ela não conseguia mais ficar de pé nem mesmo para tomar banho. “A cartilagem do meu quadril estava totalmente comprometida, as dores não passavam nunca. Só saía de casa para ir às consultas”.

Nesse período, Delzimar conheceu uma médica que, já na primeira consulta, quando viu a situação, identificou todos os remédios que ela vinha usando. “Deus colocou essa doutora em meu caminho. Ela foi taxativa e disse que trocaria todos os medicamentos. ‘Vamos trocar toda essa medicação, vou desintoxicar você. Vamos atacar a raiz deste problema. Se você continuar com esta medicação que você está tomando os seus rins e seu fígado não vão aguentar. O tratamento é para o resto da vida, mas você vai sair desse estado e ficar bem.  A cirurgia do seu quadril é inevitável, você precisa fazer para voltar a andar’, foram as palavras dela naquele momento”.

Apesar de chorar bastante, pensando na oportunidade da cirurgia, a esperança estava de volta. Mas, eles agora tinham outro problema. “As consultas eram caríssimas. Não havia possibilidades de eu continuar o tratamento. Pensei: Deus não tem jeito de eu ficar com essa doutora. Quando eu pensava desta forma, a médica me olhou e falou: ‘Vou tratar de você em um hospital público que trabalho, você não vai gastar dinheiro algum. Não se preocupe! Você terá o mesmo tratamento que eu te daria aqui em meu consultório particular’. DEUS É FIEL!”

O novo tratamento foi iniciado. O inchaço foi diminuindo, a pele amarela voltou a ter cor, a medicação começava a fazer efeito. Agora, era só aguardar o dia da cirurgia. “O dia da minha vitória chegou, fiz as duas cirurgias em meses diferentes no melhor hospital que temos, sem custo algum, usei as muletas por mais um ano entre uma cirurgia e outra para a recuperação dos movimentos (precisei aprender a andar novamente, rs). Estou de pé para a honra e a Glória do Senhor! Não uso muletas e nenhum tipo de compensação nos pés”.

No dia em que recebeu alta e foi liberada das muletas, Delzimar saiu do hospital e foi direto visitar a mãe que estava internada, para dar a notícia. “Quando cheguei naquele hospital, minha mãe estava toda entubada, e quando eu contei pra ela que não precisava mais das muletas, as lágrimas rolaram no seu rosto e ela conseguiu levantar a mão bem devagar e fez um sinal de positivo. Foram meus últimos momentos com minha mãe. Deus a recolheu naquele dia, há oito anos”.

O recomeço

deusa3Um ano depois, já adaptada à nova rotina, de pé, vivendo uma vida nova, e recuperando todo o tempo perdido, e também  o choque da perda da mãe, Delzimar precisou enfrentar a separação. “Meu marido foi embora de casa… Estou eu agora com meu pai, meu filho e uma casa para administrar. Eu já estava aposentada por invalidez, não poderia retornar ao trabalho, mas pensei em tudo o que passei, nos obstáculos que encontrei e nos direitos que perdi por não conhecê-los, direitos públicos e sociais”.

Com esse pensamento, ela decidiu retomar um sonho antigo. “Deus me deu forças e resolvi fazer minha faculdade de Serviço Social. Decidi fazer para ajudar as pessoas que precisam de orientações, principalmente em nossas igrejas”.

A faculdade foi concluída em 2014. Neste período, ela trabalhou com vendas e trabalhos na internet. “Tudo o que eu tenho alcançado, tem sido uma benção para a minha vida e para a vida de algumas pessoas. Um dia, vou poder dizer muitas pessoas. Sabemos que o nosso país não é perfeito, mas existem muitos programas sociais, projetos, que as pessoas têm direito e desconhecem. É muito bom, gratificante poder ajudar”.

Baseando sua vida no Salmo 5.3, “Deitei e dormi, acordei porque o Senhor me sustentou”, Delzimar tem visto o cuidado e o sustento de Deus em todas as suas necessidades. O objetivo agora é fazer pós-graduação em Terapia Familiar. “Este é um sonho antigo, desde a época em que vivenciávamos muitos problemas familiares na igreja, quando meu marido era dirigente de congregação. Depois de tudo o que aconteceu em meu casamento, me senti frustrada nesta área e por um momento pensei em desistir deste sonho. Mas Deus falou profundamente comigo e me fez entender que essa nova experiência também servirá para ajudar a muitas mulheres a seguir em frente. Buscar a realização dos seus sonhos e ser útil para outras pessoas mesmo quando situações vêm para nos fazer desistir”.

Delzimar quer dar continuidade ao projeto de um livro onde conta seu testemunho, desde a adolescência, quando Deus a chamou para fazer uma grande Obra. “Está engavetado desde o dia em que meu marido saiu de casa. Eu tinha me esquecido deste projeto, e hoje Deus me convida a retomá-lo. Ainda tenho muito a fazer… SENHOR, Eis-me aqui!”.

Por Sandra Freitas

Comments

7 Comments
  1. Avatar
    posted by
    José Renato
    out 24, 2015 Reply

    Que Deus abençoe a sua vida, mamãe! Eu te amo muito! Obrigado por edificar a nossa casa!

    Que Deus abençoe a todas as pessoas envolvidas nessa matéria! Que a mão do Senhor alcance os sonhos de vocês!

  2. Avatar
    posted by
    NADIA BATISTA DE SANTANA GOMES
    out 24, 2015 Reply

    DEUS É TREMENDO! NÃO COMPREENDEMOS OS SEUS CAMINHOS, ÁS VEZES, MAS ELE SABE O QUE FAZ E PORQUE FAZ.

  3. Avatar
    posted by
    Marcos Junior
    out 24, 2015 Reply

    Essa é uma grande guerreira e uma respeitada mulher de Deus! Desde quando eu ainda era pequenininho vejo sua luta e sua dedicação à família e à obra de Deus, sempre persistente e confiante. Tia Delzimar, não tenha dúvida, você é uma escolhida de Deus, chamada para realizar uma obra maravilhosa no nome Dele! Louvo a Deus pela sua vida e de sua família! “Sim, grandes coisas fez o SENHOR por nós, e por isso estamos alegres.” Sl 126.3

  4. Avatar
    posted by
    silvana mota pires
    out 24, 2015 Reply

    tenho o prazer de conhecer esse testemunho bem de perto pois ja fazem 10 anos que convivo com essa que agora chamo de irma

  5. Avatar
    posted by
    Ivonete
    out 24, 2015 Reply

    Fiquei feliz em ler tudo o q escreveu e q continua na obra , ahhhh deixa eu te falar , voltei pra Jesus tá? e qto ao seu marido q Deus o ilumine outra vez , minha filhinha querida q Deus te abençoe hoje e sempre rica e abundantemente , enfim te encontrei , vc não sabe o qto estou feliz ,te amo em Jesus. fique bem beijão

  6. Avatar
    posted by
    Marcos Nicscio
    out 24, 2015 Reply

    A paz do Senhor Jesus , você é um verdadeiro milagre foi muito. bom te ver linda alegre e feliz, que Deus te abençoi e te de a paz

  7. Avatar
    posted by
    Elione Silva
    out 25, 2015 Reply

    Nosso Deus é fiel, toda dor e lágrimas sempre são transformadas em bênçãos.
    Parabéns pela sua vitória e força na caminhada, estarei sempre orando por vc.Te amo !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *