Criando filhos com “filtros”

Família 1

Conversando com um amigo cristão sobre cinema, e no meio da conversa comentei que o meu filho caçula queria muito ver o novo filme “Deadpool”. Ele logo exclamou! “Você sabe que este personagem é conhecido pelas palavras chulas que usa?” Respondi: “Sim eu sei. Ele é um anti-herói. Mas como mãe, conheço bem os filhos que tenho e a educação que dei, por isso, eu não os criei com tampão nos ouvidos, mas com filtros”. Por certo, ele não esperava por essa resposta.

A história do anti-herói foi inicialmente proibida para menores de 18 anos, mas nesta sexta-feira (18), teve a classificação indicativa reduzida de 18 para 16 anos, após recurso da Fox. Mas não foi pelo filme em si, mas a preocupação excessiva de um pai cristão pela prole. Diante dessa questão, resolvi escrever e compartilhar sobre criação dos filhos. Não que eu seja perfeita, não. Sou cristã, mãe e tenho dois filhos, um adolescente de 14, e uma jovem de 19 anos.

Entre erros e acertos, compreendi que os filhos são uma extensão de quem somos, de nossa família e ensinamentos.  Eu observo como é muito difícil para alguns irmãos compreenderem que criar filhos no Evangelho, debaixo da égide bíblica, está muito longe de colocar uma redoma de vidro sobre eles. Definitivamente não!  É justamente o contrário.  É orientá-los biblicamente para que na exposição à maldade do mundo eles possam ser o “bom perfume de Cristo” explicitado em 2 Coríntios 14,15 “E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento. Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem.” e também sob grande espera “A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados”  (Rm 8.19).

Criar filhos é ensinar que em Cristo Jesus eles são e serão sempre livres para usarem a liberdade do Evangelho com responsabilidade e verdade.  É ensinar que eles não estão mais debaixo da lei (que pune), mas da graça que liberta!  “Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Rm 6.14).

Sim, meus filhos têm orientações, exemplos e uma estrutura cristã para se comportarem em “qualquer lugar”. Não preciso vigiá-los 24 horas. Não preciso proibi-los de ver este ou aquele filme, ou com quem estão ou vão sair.  Porque eles sabem que “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma” (1 Co 6.12).

Tenho a convicção que Deus nos deu a dádiva de sermos pais para criar nossos filhos para lidarem com as diferenças e os ambientes hostis deste mundo. Entendo como mãe que meus filhos precisam ser crentes maduros, que saibam se “conduzir” (Cl 4.4-6). A realidade é dura! “Eles irão crescer” e precisarão “ligar os pontos” da Palavra ensinada à sua rotina. Os ensinamentos de casa e da igreja precisarão fazer sentido em suas vidas e com urgência. E a Bíblia é bem clara! Os dias são maus! (Ef.5.16b)

“Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito” (João 15:7). A Palavra também nos admoesta que nós temos que estar Nele, e sua Palavra em nós, só assim alcançaremos a “autoridade” para pedir “tudo”, e será feito. Estar “em vós” é bem mais amplo e profundo do que imaginamos. É estar tão impregnado por Cristo que não tem mais como dividir. Isso se aplica também aos nossos rebentos. Onde nossos filhos estiverem a Palavra estará “dentro” deles, e saberão como agir.

Criar filhos é orientar, é acompanhar o seu desenvolvimento e crescimento em todas as áreas. É se alegrar com suas conquistas. Porque eles andam em liberdade; pois buscam os seus preceitos. (Sl 119.45 parafraseado)

E mais. Criar filhos é confiar sempre! Deus tem promessas e propósitos, e eles incluem nossos filhos.  Peçamos ao Senhor mais orientações nesse grande e maravilhoso desafio.

Simone Maia é Bacharel em Pedagogia (UCB) e Teologia (FAECAD), casada, mãe de dois filhos (14 e 19), professora de DEBQ/ITQ e membro da Igreja do Evangelho Quadrangular de Bangu-RJ. É responsável pelo blog “Cantinho da Sica Maia”.

 

Deixe seu comentário